pichocho taquara pichocho estrela

Pichochó

Ordem: PASSERIFORME
Subordem: OSCINE
Subfamilia: Emberizinae
Gênero: Sporophila
Espécie: Sporophiala frontalis
Nome comum: Pichochó, pichochó-taquara, pixoxo-estrela, cacatau, estalador.chanchão

É o maior dos Sporophila. Algumas fêmeas cantam. Seu canto é um açoitar violento “tchó_tchó-tchótchüt”, emitido constantemente, o que da o nome pichochó. Cantam de madrugada. Seu bico chama a atenção pela inversão do normal, onde a maxila é mais fina que a mandíbula. Os machos só adquirem a cor definitiva da plumagem após o terceiro ano de vida. Há que tudo indica, os jovens machos permanecem com a plumagem parda, aparentando um fêmea para evitar o ataque violentos de machos adultos, que defende território, porem, esses "pardos" cantam muito e já gala as fêmeas e podem ser pais de muitos filhotes a partir 10 meses. Quando o evento raro da frutificação de taquaras e bambus, os pichochós viajam muitos quilômetros para aproveitar o “arroz de taquara”. Em algumas taquaras a frutificação pode acontecer a cada 8 anos, outras em 12, 20, 30 ou mesmo 34 anos. Devido o grande intervalo de frutificação um pichochó só comerá o arroz de taquara uma vez na vida, e quando à oportunidade viajam muitos quilômetros. No Rio de Janeiro foi registrada a frutificação da taquara em 1952 e 1981. Ocorre do Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraguai e Argentina.

© 2006-2010 . criarparaconservar.com.br . Desenvolvimento conteúdo: Eduardo do Nascimento . Desenvolvimento do site: Thays Faccin Borazanian